BEM-VINDO
O melhor conteúdo para você
4 minutos de leitura (866 palavras)

Algumas frases preconceituosas que reforçam a LGBTfobia

 A LGBTfobia são ações que agridem psicologicamente, verbalmente e/ou fisicamente pessoas que não são heterossexuais (ou cisgêneras), sendo tais ações veladas ou explícitas e, até mesmo, institucionalizadas enquanto sociedade e cultura. Este tipo de discriminação não necessita do ato explícito tão somente, basta deixar de contratar uma babá transexual ou pensar "tudo bem, mas não quero perto de mim", por exemplo. A LGBTfobia impacta diretamente no íntimo das pessoas que sofrem essas agressões, moldam o imaginário e o indivíduo pode crescer com sua auto-estima prejudicada, pensando que há um problema com si próprio. Sem contar na exclusão social que é alarmante para essa população. Uma das formas que a LGBTfobia encontra para se manter no laço social é justamente nos discursos sociais que atravessam as gerações, formando pessoas com baixa sensibilidade para com a dor do outro e preconceituosas. 

Vale lembrar, antes de iniciar a lista, que é esperado que em algum momento você tenha cometido formas de preconceito e é esperado também que você mude seus comportamentos e evolua socialmente para um bem estar coletivo. Crescemos com essas "verdades" e acabamos reproduzindo-as, mas quando entendemos sobre LGBTfobia temos o dever de impedir a propagação desse tipo de discurso de ódio. E, se trazemos para a Psicologia, nosso dever é muito maior enquanto profissionais.

8 frases que reforçam a LGBTfobia 

 1 - "Eu não tenho preconceito, mas..."

Aqui não há espaço para poréns, o "mas" é uma conjunção adversativa e significa que a pessoa não concorda com a afirmação anterior que "não tem preconceito". Não há meio termo, ou se tem preconceito ou não.


2 - "Quando você virou gay/bi/trans"?

As vezes a pessoa nem está com intensão de ofender ou ser preconceituosa, ela age perguntando fundamentada numa ignorância de pensamento de que a pessoa decide, em algum momento da sua vida, virar gay/bi/trans. Mas como bons entendedores temos que saber que ninguém vira isso ou aquilo, no campo da orientação sexual não há uma escolha definida ou opcional. Essa característica é inata ao indivíduo.


3 - "Bissexuais ficam em cima do muro, não se assumem ou ficam de bagunça"

Essa frase eu já ouvi de bissexuais que reclamavam de que havia preconceito até mesmo dentro da comunidade homossexual. Isso não significa que sejam preconceituosos, estão propagando um discurso social recorrente e é preciso atenção para não cair nesse erro. Os bissexuais possuem uma sexualidade definida e isso tão pouco significa indecisão ou "estar em cima do muro".


4 - "Você nem parece gay/trans/bi..."

O ser humano, consequentemente a sociedade, procura categorizar as pessoas e seus grupos pertencentes em padrões e tabus e isso é prejudicial quando trazido para os campos da homoafetividade e transexualidade. Esse tipo de frase, e pensamento, reforça a LGBTfobia e procura enquadrar um indivíduo em rótulos e padrões de comportamento, vestimenta e etc. Um exemplo contrário é: na sociedade é comum atrelar uma musculatura corporal protuberante a figurada do "masculino, do homem", mas e o homem que não é "tão forte" assim? Ele deixa de ser homem? Ele não parece como homem? Esse pensamento nos leva ao seguinte questionamento: O que é ser homem, então? Se aplicando a todos os contextos e fragilizando tal pensamento preconceituoso.


5 - "Se você fosse mulher/homem..." 

A orientação sexual é a forma como uma pessoa se relaciona com uma outra, identidade de gênero é como ela se identifica "enquanto pessoa" (lê-se, de forma muito grosseira, para fins didáticos, homem ou mulher). Logo, se a pessoa é gay ou lésbica isso pouco tem haver com ela "parecer mulher ou homem". Lembra da frase anterior? Mesma linha de pensamento.


6 - "Não precisa espalhar pra todo mundo que você é gay/bi/lésbica. Parece que quer se aparecer"

Primeiramente algo precisa ficar claro: a pessoa é livre para falar da sua sexualidade, ainda bem que isso não é proibido por lei. Ela pode, e deve, falar se gosta de "mulher/homem" ou  não possui atração por esses gêneros. Isso se dá porque nossa sociedade é héteronormativa e isso pressupõe que os sujeitos nela sejam héteros - aqui não discuto se é certo ou não, mas infelizmente o que acontece.


7 - "Me ajuda escolher roupa/decorar casa. Gays entendem de moda , não é mesmo?" 

Essa frase pertence a mesma história dos estereótipos, sobre como as pessoas precisam se encaixar em um padrão social. Se um gay ou outro entende de moda, ou os filmes indevidamente os retratam assim, não siginica que todos os gays são assim e, muito menos, que vão te dar dicas. Reforçar essa ideia é reforçar o pensamento de que "isso é coisa de gay", "aquilo é coisa de lésbica", etc e etc.


8 - "Não pode falar nada contrário que já ficam irritadinhos(as)/mimimi"

Se a sua frase agredir a liberdade e imagem da outra pessoa, sendo preconceituosa e excludente, então NÃO, você não pode falar. É direito fundamental da pessoa ser respeitada e ter sua imagem preservada.


Essas são algumas frases que nossos usuários do Facebook compartilharam conosco quando pedimos dicas para escrever esse post e comentamos elas porque o nosso foco aqui no Psico Educa é promover o conhecimento e combater as formas de intolerância. Você concorda com o conteúdo do artigo e/ou deseja acrescentar mais alguma frase? Conte nos comentários.


O que é Comportamento Operante de Skinner?
Quantos psicólogos precisam para trocar uma lâmpad...

Related Posts

 

Comentários

Nenhum comentário foi feito ainda. Seja o primeiro!
Já possui conta? Faça seu login
Visitante
Domingo, 25 Outubro 2020
Se você deseja se registrar, preencha os campos usuário, senha e nome.

By accepting you will be accessing a service provided by a third-party external to https://psicoeduca.com.br/