3 minutos de leitura (665 palavras)

Entenda Significado da "Catarse" para a Psicologia

Comecemos pela definição do dicionário (Houaiss, 2001): "etimologicamente a palavra vem do grego – kátharsis – significando purificação, purgação, mênstruo, alívio da alma pela satisfação de uma necessidade moral".


Na psicologia, o termo "catarse" tem raízes na teoria psicanalítica de Sigmund Freud pois assim foi resgatada e utilizada inicialmente por Freud e Breuer como "método catártico", mas também é amplamente associado a outros pensadores e abordagens terapêuticas. A catarse na psicologia representa o processo de "purificação" das emoções negativas, abrindo uma janela para "arejar os espaços onde conflitos persistiram". É permitir que a raiva e a tristeza se desprendam do nosso interior, dando lugar a estados mais saudáveis e relaxados. Nosso entendimento atual de catarse possui se popularizou e criou raízes através da psicanálise de Freud (já  era empregada anteriormente), mas a palavra teve destaque inicial com Aristóteles, que a usou para definir o propósito da tragédia nas artes. É o mecanismo pelo qual nos purificamos emocional, mental e espiritualmente.

Ao se envolverem em peças teatrais, as pessoas podiam resgatar seus próprios problemas, identificando-se com os personagens principais para reconsiderar, sentir, refletir e liberar conflitos. No sentido etimológico, "catarse" vem do grego, significando purificação e alívio da alma. Além, o termo tem sido usado na religião, medicina e filosofia da Grécia antiga, representando a expulsão daquilo que é estranho à essência de um ser. A catarse não está limitada ao teatro; a leitura de textos literários e o ato de escrever também são catárticos. A literatura, com suas diversas formas, proporciona a expressão mais profunda do ser humano. A escrita automática, presente em diários juvenis, é catártica e liberadora. Na apreciação literária, ocorre a identificação do leitor com o texto, permitindo o surgimento de emoções. A literatura, incluindo poesias e textos bíblicos, possui o poder de cura através da palavra escrita.

Além da literatura; está presente na expressão musical, dança, pintura e outras formas artísticas. A expressão musical é comparada aos sonhos, sendo mágica e catártica. A dança serve para a extroversão de fantasias e sonhos, enquanto a pintura possibilita a expressão de processos inconscientes e/ou mentais.

No campo da psicologia, a catarse foi essencial para o desenvolvimento da psicanálise de Freud. A relação afetiva entre paciente e terapeuta foi reconhecida como poderosa na possibilidade de tratamento e cura. A transferência e a resistência tornaram-se elementos-chave no processo psicoterápico. Anteriormente à psicanálise, Breuer descobriu em suas observações, que o sintoma histérico sumia de forma permanente quando havia a catarse do fato provocador dos sintomas. Quando o afeto patógeno vinha à luz de modo claro, na forma de palavras, a doença sumia e a psicoterapia se apresentava efetivamente curativa (para os padrões da época).

"Ao propor analisar o "discurso catártico", Freud propunha trazer o recalcado para o contexto da fala coerente e ampla (a palavra plena de Lacan), numa forma sofisticada de catarse, com a ideia de que o paciente busca amparo no desamparo, fortaleza na fraqueza e clareza para o enigma, e de que o analista possa entendê-lo na escuta das entrelinhas" (Almeida, 2010). Freud trouxe contribuições significativas, destacando a importância da relação afetiva na psicoterapia. A rememoração catártica e a elaboração de fantasias inconscientes tornaram-se fundamentais no processo analítico.


O conceito de catarse não é estática; evoluiu ao longo do tempo, recebendo contribuições de diversos teóricos e abraçando diferentes formas de expressão. Desde a tragédia grega até as modernas psicoterapias, a catarse continua a desempenhar um papel relevante na busca pela compreensão e liberação das emoções humanas. Vale destacar que o método catártico possui diversas críticas e contraindicações, não sendo uma abordagem terapêutica exclusiva e única.

Este é um resumo abrangente da catarse na psicologia, incorporando perspectivas históricas, filosóficas, literárias e terapêuticas. Se precisar de mais informações ou tiver alguma pergunta específica, sinta-se à vontade para perguntar! 


Fontes:

ALMEIDA, W. C. Além da catarse, além da integração, a catarse de integraçãoBeyond catharsis, beyond integration, the catharsis of inte. Rev. bras. psicodrama, São Paulo , v. 18, n. 2, p. 97-106, 2010

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. RJ: Objetiva, 2001.

×
Stay Informed

When you subscribe to the blog, we will send you an e-mail when there are new updates on the site so you wouldn't miss them.

Quando procurar um Psicólogo? Veja quando você pre...
Nação dopamina: Por que o excesso de prazer está n...

Related Posts

 

Comentários

Nenhum comentário foi feito ainda. Seja o primeiro!
Já possui conta? Faça seu login
Quinta, 20 Junho 2024